Bactérias Perigosas se Escondem em Enfermeiras, e nos Uniformes dos Médicos

Um estudo israelense encontrou patógenos preocupantes em 60% dos itens amostrados.

Os jalecos brancos e os uniformes usados pela equipe de funcionários de um hospital podem abrigar bactérias perigosas, revela um novo estudo.

Pesquisadores em Israel lavaram uniformes de enfermeiros e médicos e encontraram bactérias potencialmente perigosas em mais de 60% dos itens.

A equipe, do Centro Médico Shaare Zedek em Jerusalém, analisou amostras coletadas de três partes - mangas, bolsos e área abdominal - dos uniformes de 75 enfermeiras e 60 médicos.

Bactérias potencialmente perigosas foram encontradas em 60 por cento dos uniformes dos médicos e 65 por cento nos uniformes das enfermeiras. Foram encontradas bactérias especialmente perigosas, resistentes a fármacos em 21 amostras de uniformes de enfermeiros e seis amostras de uniformes de médicos. Oito das amostras tinham Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), que está se tornando difícil de combater usando antibióticos convencionais.

As bactérias nos uniformes não representam um risco direto de transmissão de doença, mas os resultados sugerem que muitos pacientes do hospital estão na proximidade próxima às bactérias resistentes aos antibióticos das bactérias, os investigadores disseram.

"É importante colocar esses resultados do estudo em perspectiva", disse Russell Olmsted, presidente da Associação de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia (APIC), em um comunicado de imprensa da associação. "Qualquer vestuário usado por seres humanos será contaminado com micro-organismos”. A pedra angular da prevenção de infecções continua sendo o uso de higiene das mãos para impedir o movimento de micróbios a partir destas superfícies para os pacientes.

O estudo aparece na edição de setembro do American Journal of Infection Control, a publicação oficial da APIC.