Das Cadeiras de Rodas às Prancha: A busca Inspiradora de um Homem Tetraplégico para Voltar a Pegar Ondas

O surfista Jesse Billauer tinha apenas 17 anos quando sofreu um acidente surfando que o deixou paralisado. Depois que ele encontrou seu caminho de volta para a água, ele aproveitou a oportunidade para inspirar outras pessoas com lesões na medula espinhal a se mover novamente também.

Imagine como seria ir a praia em um dia de sol e se sentir preso em uma cadeira de rodas, sem poder se jogar na areia, caminhar a beira da água, ou surf nas ondas.

Graças a Jesse Billauer’s Life Rolls On organização, muitas das cerca de 12.000 pessoas que sofrem devastadoras lesões na medula espinhal a cada ano não terão que passar por isso que vocês imaginaram. Sem fins lucrativos, tem como objetivo melhorar a vida das pessoas com lesões na medula espinhal através de programas de ação de esportes estimulantes que os ajudam a praticar esportes como o surfe, skate e esqui novamente.

Billauer, 32 anos, paralisado da cintura para baixo há 15 anos, fundou a Life Rolls On depois de experimentar os efeitos emocionais e físicos positivos e poderosos de retornar ao surf depois do acidente.

O acidente que iria mudar a vida de Jesse

Billauer saiu em uma manhã de 1996 para pegar as ondas em Zuma Beach em Malibu, Califórnia. "Eu saí em uma onda e cai, e eu acabei batendo minha cabeça em um sandbar raso e notei que meu corpo inteiro ficou mole", Billauer diz no episódio de estréia de Everyday Health, um novo programa de televisão sobre os extraordinários americanos que estão ajudando outros a levar uma vida mais saudável e feliz, que vai ao ar em 3 de setembro nas estações ABC locais.

Ele recorda o momento em que acordou no hospital e ouviu o seu médico explicar que sua vida havia mudado para sempre. "Eu me lembrei dele olhando para mim e falando, 'Você sabe, você quebrou sua medula espinhal. Você provavelmente não será capaz de andar nunca mais novamente", diz Billauer. "O sentimento que veio logo depois foi de apenas tentar encontrar essa força e esperança. Foi difícil."

Para George, pai de Jesse, saber que o seu filho, tão ativo e independente, não seria mais capaz de andar novamente parecia demais para suportar. "Eu posso lembrar claramente [pensando] que Jesse poderia ter ficado melhor se ele não sobrevivesse", admite George. "Eu não sabia como alguém poderia superar algo assim. Provavelmente foi minha insegurança, meu egoísmo pensando, porque eu não percebi que sua personalidade era exatamente a mesma de antes. Foi quando eu soube que ele ficaria bem."

Depois de três meses de reabilitação no hospital, Billauer finalmente foi para casa. Embora estivesse preso à cadeira de rodas, estava determinado a voltar à água um dia.

Esse dia veio cerca de quatro anos depois, com a ajuda de amigos e surfistas profissionais Rob Machado, cujo seu patrocinador criou uma prancha especial adaptável, com braços e cintas para Billauer. "No primeiro dia que eu surfei, senti tanta emoção, tanta felicidade", diz ele. "Eu imaginei, que a melhor maneira de dar de volta realmente seria essa. Portanto, eu comecei o Life Rolls On Foundation."

Ajudar os outros a voltar para a água

A principal missão da Life Rolls On é inspirar e melhorar a qualidade de vida de pessoas com lesões da medula espinhal através de eventos desportivos como o seu programa emblemático They Will Surf Again. Durante estes eventos, os voluntários acompanham as pessoas usando pranchas adaptáveis para o oceano para que possam pegar as ondas. Life Rolls On também iniciou eventos semelhantes para esqui e patinação.

"Quando ele está entre as ondas, eu sou uma mãe nervosa, mas ai eu lembro que ali ele está a salvo", disse Hunter Pochop, “de seis anos, que tem espinha bífida, Lá fora, com os incríveis voluntários", diz a mãe de Hunter, Jacqueline Pochop. "O sorriso em seu rosto coloca o maior sorriso no meu coração."

Especialistas dizem que a vida Rolls On pode realmente ajudar as pessoas com lesões na medula espinhal.

Esportes e atividades recreativas são absolutamente essenciais para os aspectos mentais e físicos da reabilitação, diz Amir Vokshoor, MD, cirurgião neurológico espinhal em D.I.S.C. Sports and Spine Center em Marina del Rey, na Califórnia, que também é surfista. "A água em si realmente ajuda os músculos que normalmente não usamos em terra."

A Realidade das Lesões da Medula Espinhal

Infelizmente, as lesões da medula espinhal são mais comuns do que você imagina. Cerca de 1,2 milhão de pessoas nos Estados Unidos estão paralisadas por lesões na medula espinhal, segundo dados da Fundação Christopher e Dana Reeve (a Life Rolls On é uma subsidiária). Enquanto acidentes de carro são a maior causa de lesões da medula espinhal (representando 24 por cento dos casos), esportes e acidentes de lazer são um fator significativo, representando 16 por cento dos casos.

"A medula espinhal é a parte do nosso corpo responsável por transmitir informações do cérebro, desde a respiração até o movimento de seus braços para andar", diz o Dr. Vokshoor. "É por isso que uma lesão na medula espinhal é tão devastadora, porque você pode ter dano desde o nervo a uma parte essencial do seu corpo".

A recuperação de uma lesão na medula espinhal pode ser um processo longo e cansativo, como os pacientes tendo que se ajustar física e mentalmente uma nova vida com mobilidade limitada. Uma recuperação típica da reabilitação inclui aprender como fortalecer os músculos, melhorar a flexibilidade e gerenciar a função do intestino e da bexiga.

Rumo ao Futuro

À medida que a temporada 2011 de "They Will Surf Again" chega ao fim (o último episódio é dia 7 de setembro em La Jolla, Califórnia), Billauer está otimista sobre o futuro, especialmente quando se trata de novas maneiras de fazer a diferença. Ele também percorre o país como palestrante motivacional, espalhando mensagens como "desfrute o hoje porque o amanhã não é garantido" e "felicidade é apenas um pensamento positivo".

"Eu me concentro no que posso fazer, e não me debruço sobre o que não posso", diz Billauer. "Muitas portas vão se fechar para seus sonhos, um monte de obstáculos que você terá que superar vão aparecer, mas existe muita oportunidade lá fora."

O pai de Billauer não podia estar mais orgulhoso de seu filho. "Eu costumava pensar que Jesse era especial quando marcava um gol ou surfava uma onda", Hoje acho que meu filho é especial porque ele faz algo para tornar o mundo um lugar melhor. Realisticamente, Jesse não teria esse impacto se ele não tivesse sido ferido."

Para ver mais sobre a história de Jesse e a Life Rolls On, sintonize a estréia da temporada de Everyday Health, realizada por Ethan Zohn e Jenna Morasca, em 3 de setembro em sua estação ABC local.